Inteligência agrícola para a redução do uso de agrotóxicos

Nos últimos três anos, de acordo com os dados divulgados pela Carta Capital, houve um aumento de 50% no número de agrotóxicos, também conhecidos como defensivos agrícolas, vendidos no Brasil, mas que são proibidos na União Europeia (UE). Em 2016 houve a liberação de 8 produtos, já em 2019 a escala subiu para 12. Com isso, no país, o número de defensivos liberados pelo Ministério da Agricultura subiu para 169. O assunto tem tomado a liderança no ranking dos temas mais debatidos atualmente.

Mas, afinal, há agricultura sem agrotóxicos? Para a engenheira agrônoma, Bianca Kancelkis, a resposta é não. “Sendo bem realista, agricultura orgânica não funciona nas grandes áreas. O que podemos trabalhar é a redução do uso dos defensivos”, afirma. A aplicação irresponsável e excessiva dos defensivos agrícolas nas plantações afeta diretamente o meio ambiente, a fauna local e a saúde dos consumidores. As consequências aparecem como: comprometimento de águas superficiais, morte de abelhas – que são fundamentais no processo de polinização das plantas – e ocorrências de deformações cromossômicas em pessoas e animais, por exemplo.

Por outro lado, os defensivos agrícolas são necessários para produtividade das lavouras, protegendo-as de pragas e ervas daninhas. “Depois do plantio, quando a planta está em estágio de crescimento, se iniciam o ataque das pragas”, diz Kancelkis. Portanto, se não houver a intervenção dos defensivos, o agricultor pode perder toda sua safra. A questão é: como fazer essas aplicações serem responsáveis e precisas? A Santos Lab desenvolveu uma metodologia capaz de coordenar de forma inteligente o uso dos corretivos ao mesmo tempo em que mantém produtividade e qualidade.

 

Como a metodologia funciona?  

Logo na primeira fase do serviço, que consiste no imageamento aéreo e na amostragem, a Santos Lab, fazendo uso de tecnologia de ponta, utilizada os Veículos Aéreos Não Tripulados (VANTs), batizados como Carcarás, para fazer o mapeamento dos talhões. Os equipamentos são capazes de gerar dados rapidamente, ao mesmo tempo em que capturam imagens de alta resolução e sem a interferência de nuvens. Os dados coletados, por sua vez, serão levados ao laboratório para serem analisados. A partir desse ponto, serão identificados os problemas e quais áreas afetadas mais precisam do uso dos defensivos agrícolas.

Mapeamento dos talhões

Com os resultados em mãos, a Santos Lab volta a atuar em campo. Com a localização exata e sabendo o que prejudica a planta, a aplicação dos defensivos é feita de maneira inteligente e precisa. “Ao identificar as reboleiras, nossa equipe de campo entra em ação, percorrendo e coletando insetos (pragas) nos pontos identificados e, posteriormente, serão levados ao laboratório e classificados. A partir deste momento o produtor receberá o mapa com a localização e classificação das pragas, podendo assim aplicar o defensivo específico pontualmente”, afirma Kancelkis.

É importante ressaltar que a natureza não é a única privilegiada com a gestão de inteligência agrícola desenvolvida pela Santos Lab. Ao consumir menos quantidade de defensivos agrícolas, o agricultor estará economizando custos. A utilização consciente e responsável não abre margem para o desperdício, que neste caso pode ser bastante prejudicial. E é nisso que a Santos Lab trabalha: aumento da produtividade, otimização dos lucros, redução de custos e desperdícios.

A conscientização e o investimento nesta nova tendência é de suma importância para o futuro do agronegócio brasileiro. Enquanto os países da União Europeia tentam impor um limite aceitável para o uso de defensivos agrícolas, o Brasil, como um dos maiores exportadores, não pode continuar seguindo o caminho contrário. Para o El País, os agrotóxicos podem ameaçar a soberania econômica nacional ao comprometer a posição brasileira na disputa por mercados, o que levaria à uma crise na economia do setor e, consequentemente, do país. Gerir as lavouras de forma inteligente e precisa é uma das soluções. E é isso que a Santos Lab ajuda os agricultores a fazerem.

Agora que você conhece a importância da inteligência agrícola, entre em contato com a gente. Nossos serviços oferecem os melhores resultados para a sua safra!

RECEBA MAIS INFORMAÇÕES

Compartilhe este post

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *